Conheça a Fonoaudiologia

Se a criança demora a dizer as primeiras palavras, fala pouco ou troca as letras, os pais, preocupados, levam ao fonoaudiólogo. Embora boa parte das pessoas só lembre desse profissional nessa hora, seu papel vai além: começa no nascimento, quando verifica a audição do bebê, e segue na infância, ao corrigir de dificuldades para engolir a distúrbios de leitura e escrita. E mais: auxilia no aprendizado de quem tem dislexia e no desenvolvimento da linguagem entre os autistas. Tudo, enfim, que se relaciona à comunicação.

Atraso de Linguagem

A criança demora para dizer as primeiras palavras ou fala muito pouco. Pode não conseguir contar uma história ou os relatos não têm começo, meio e fim. Com 1 ano, o bebê deve ser capaz de formular palavras soltas, como ‘bola’. Com 2 anos, começa a fazer justaposição: ‘dá bola’. Aos 3 anos, é comum formular frases com pelo menos três palavras, como ‘me dá a bola’.


Distúrbio Articulatório

É a troca das letras ao falar. Até os 3 ou 4 anos, é normal a criança não conseguir pronunciar alguns fonemas. Mas depois dessa idade, se ela ainda comete erros, é melhor procurar um profissional.


Distúrbio de leitura e escrita

Troca de algumas letras ao escrever. Pode ser decorrente de uma troca nos fonemas. Por exemplo, ela lê ‘carro’, mas pronuncia ‘calo’. A dislexia se encontra nesse grupo, porém é um distúrbio de aprendizagem mais complexo e grave, que não envolve apenas fonemas específicos, mas também a forma de aprender.


Motricidade oral

São problemas na musculatura da face, da boca ou da língua, como dificuldade para engolir, mastigar ou respirar. A causa pode ser língua ou lábios flácidos, posicionamento errado da língua ou respiração incorreta (feita pela boca).


Voz

Assim como os adultos, as crianças podem ter problemas com a voz, como a rouquidão. Entre as causas estão problemas orgânicos, diagnosticados pelo médico. Mas, em geral, isso acontece quando seu filho grita muito e, assim, perde a voz. A fono trabalha na mudança do comportamento da criança, para que aprenda a modular melhor isso.


Deficiência auditiva

Três de cada mil crianças nascem com perda auditiva, que pode comprometer sua capacidade de comunicação. O tratamento até os 6 meses de vida aumenta as chances de a criança ter uma audição mais próxima da normalidade.


Gagueira

Até 5 anos, é normal a criança gaguejar um pouco ou demorar mais a falar, pois ainda está aprendendo. Nessa fase, não se deve chamar a atenção para a questão, porque isso causa ansiedade e aumenta a probabilidade de uma gagueira efetiva no futuro. Também não é indicado que os pais completem as frases. Isso só resulta em mais nervosismo.


Fonte: Revista Crescer

Alguma dúvida?
Fale conosco
Aqui você aceita os termos e políticas do WhatsApp para conversas.