FONOAUDIOLOGIA é uma
profissão da área da saúde que pesquisa, previne, avalia e trata as alterações
da voz, fala, linguagem, audição e aprendizagem.

Onde encontrar um Fonoaudiólogo?

Você encontra um
Fonoaudiólogo nos seguintes locais:

Hospitais e Postos de
Saúde
Consultórios
Clínicas multiprofissionais
Escolas especiais
Equipe escolar
Grupos de teatro e canto
No ambiente de trabalho

Qual a população atendida pelo Fonoaudiólogo?

O Fonoaudiólogo presta
assistência a:

Bebês de risco
Crianças que apresentam atraso no desenvolvimento global nos primeiros anos de
vida
Crianças que apresentam problemas/distúrbios da fala e/ou da linguagem e/ou
audição
Pessoas com distúrbios de deglutição, mastigação e/ou sucção
Pessoas que trabalham em ambientes com poluição sonora excessiva
Pessoas que apresentam problemas de voz
Pessoas que apresentam problemas/distúrbios de aprendizagem formal
Pessoas que apresentam qualquer dificuldade de comunicação, como seqüelas de
doenças neurológicas
Pessoas portadoras de deficiências que tenham problemas de comunicação

Quando procurar um Fonoaudiólogo ?

Você deve procurar um
Fonoaudiólogo quando apresentar um dos seguintes sintomas:

Distúrbios da Fala
Perda Auditiva
Distúrbios da Audição
Distúrbios da Linguagem
Estimulação Essencial
Distúrbios da Deglutição, Mastigação e/ou estética vocal
Distúrbios na aprendizagem da leitura, da escrita e do cálculo
Distúrbios da Comunicação – Expressão/compreensão

ÁREAS DE ATUAÇÃO DO FONOAUDIÓLOGO

– Saúde da Criança:

  • Triagem Auditiva Neonatal (“Teste da Orelhinha”) e infantil
  • Teste da Linguinha
  • Dificuldades em recém-nascidos para sugar e engolir
  • Alterações de fala, leitura, escrita e aprendizagem
  • Atrasos no desenvolvimento infantil
  • Acompanhamento da evolução psicomotora

– Adolescente e Jovem:

  • Alterações vocais (puberdade e situações atípicas)
  • Prevenção e tratamento de disfluências na fala e na linguagem (“gagueira”
    e “fala embolada”)
  • Orientações quanto ao uso adequado de equipamentos e em
    situações que possam prejudicar a audição (fones de ouvido, DJs)
  • Reequilíbrio da musculatura de face, lábios e língua no
    tratamento ortodôntico

– Saúde da Mulher:

  • Apoio e incentivo ao aleitamento materno
  • Orientações às mães quanto ao desenvolvimento saudável de seus
    filhos em diferentes aspectos (vínculo afetivo, linguagem, desenvolvimento
    psicomotor)
  • Problemas de voz relacionados a fatores femininos (mau uso
    vocal, menopausa, tumores)

 Saúde do Idoso:

  • Sequelas de AVC ou outras alterações de origem neurológica
  • Dificuldades de mastigar ou engolir alimentos
  • Falhas de memória, problemas na compreensão ou na expressão
    verbal
  • Indicação e adaptação de aparelhos auditivos
  • Mudanças na qualidade da voz

– Educação:

  • Avaliação e diagnóstico institucional de situações de
    ensino-aprendizagem relacionadas à sua área de conhecimento
  • Planejamento educacional
  • Elaborar, acompanhar e executar projetos, programas e ações
    educacionais que contribuam para o desenvolvimento de habilidades e
    competências de educadores e educandos, visando à otimização do processo
    ensino-aprendizagem
  • Promover ações de educação dirigidas à população escolar nos
    diferentes ciclos de vida

– Saúde do Trabalhador:

  • Problemas decorrentes da exposição ao ruído intenso
  • Acompanhamento específico aos profissionais da voz (professores,
    locutores, advogados, etc)
  • Assessoria a escolas, indústrias e empresas
  • Participação em equipes de referência em saúde do trabalhador

– Portadores de Necessidades
Especiais:

  • Habilitação e reabilitação de pacientes com alterações de
    comunicação em geral, audição, mastigação e deglutição
  • Realização de adaptações e outras condutas terapêuticas que
    visem melhor compreensão e expressão oral, alimentação segura e inclusão social
    plena
  • Melhoria da qualidade de vida

– Saúde da Família:

  • Atuação nas equipes de Saúde da Família, visando promover,
    prevenir, detectar e auxiliar na solução de problemas diversos que envolvam
    alterações de voz, fala, linguagem, audição e vias de alimentação

– Saúde Mental:

  • Favorecimento da socialização e resgate da autoestima, através
    de estratégias de incentivo à comunicação

– Educação em Saúde:

  • Participação em ações socioeducativas em saúde da comunicação
  • Multiplicação e facilitação de estratégias que ofereçam
    informações à população sobre melhorias na qualidade de sua saúde

Fonte: http://crefono1.gov.br

Áreas da Fonoaudiologia:

AUDIOLOGIA:

Por meio da audição é
que se adquire, normalmente, a comunicação oral. Doenças na gestação, infecções
de ouvido, uso indiscriminado de medicamentos, exposição a ruídos intensos e
outros podem causar alterações auditivas, comprometendo a comunicação e a
qualidade de vida do indivíduo.

LINGUAGEM:

É a especialidade que
trabalha com os aspectos que envolvem a comunicação oral e escrita. O seu
desenvolvimento dá-se desde a infância até a idade adulta. Pessoas com
problemas de comunicação (expressão e compreensão) podem ter dificuldades na
sua integração social e profissional.

MOTRICIDADE:

Nesta especialidade, o
fonoaudiólogo habilita/reabilita funções relacionadas à respiração, sucção,
mastigação, deglutição, expressão facial e articulação da fala, propiciando
melhores condições de vida e de comunicação.

SAÚDE COLETIVA:

É um campo da
Fonoaudiologia voltado a construir estratégias de planejamento e gestão em
saúde, no campo fonoaudiológico, com vistas a intervir nas políticas públicas,
bem como atuar na atenção à saúde, nas esferas de promoção, prevenção, educação
e intervenção, a partir do diagnóstico de grupos populacionais.

VOZ:

Representa a identidade
do indivíduo, pois expressa seus sentimentos. É produzida pelas pregas vocais e
quando estas não funcionam adequadamente, a voz é alterada, podendo ficar
rouca, abafada, soprosa, comprometendo o trabalho e a vida pessoal. O
fonoaudiólogo previne, avalia e trata os problemas da voz falada (disfonias),
cantada (disonias) e ainda aperfeiçoa os padrões vocais.

DISFAGIA:

É uma alteração da
deglutição, ou seja, do ato de engolir alimentos ou saliva. Não se trata de uma
doença, mas sim de um sintoma que indica prejuízo no ato de engolir ocasionado
por diversos fatores, dentre eles: trauma em região da cabeça e pescoço,
acidente vascular cerebral, demências, doenças neuromusculares, intubação oro
traqueal prolongada e câncer de cabeça e pescoço. O tratamento das alterações
da deglutição deve envolver uma equipe multidisciplinar, composta no mínimo por
médicos, enfermeiros, nutricionistas e fonoaudiólogos. Na equipe, o fonoaudiólogo
é o profissional apto para lidar com os distúrbios da deglutição e da
comunicação, sendo o responsável pelo diagnóstico e intervenção da disfagia.

FONOAUDIOLOGIA EDUCACIONAL:

O domínio do
especialista em Fonoaudiologia Educacional inclui aprofundamento em estudos
específicos e atuação em situações que contribuam para a promoção,
aprimoramento e prevenção de alterações dos aspectos relacionados à audição,
linguagem (oral e escrita), motricidade oral e voz e que favoreçam e otimizem o
processo de ensino e aprendizagem.

GERONTOLOGIA:

Dentre as funções do
Fonoaudiólogo Especialista em Gerontologia estão as de realizar promoção da
saúde do idoso, prevenção, avaliação, diagnóstico, habilitação/reabilitação dos
distúrbios relacionados à audição, ao equilíbrio, à fala, à linguagem, à
deglutição, à motricidade orofacial e à voz nessa população.

FONOAUDIOLOGIA NEUROFUNCIONAL:

O Fonoaudiólogo
Especialista em Fonoaudiologia Neurofuncional realiza avaliação, diagnóstico,
prognóstico, habilitação e reabilitação fonoaudiológicos de pessoas em
diferentes ciclos de vida com alterações neurofuncionais, atuando nas sequelas
resultantes de danos ao sistema nervoso central ou periférico.

FONOAUDIOLOGIA DO TRABALHO:

Na especialidade em
Fonoaudiologia do Trabalho, o fonoaudiólogo deverá promover mudanças
consecutivas na forma de organização do trabalho levando em consideração a
saúde e aperfeiçoamento da comunicação humana, o desenvolvimento de programas
de prevenção ocupacional, a implantação de programas de qualidade de vida do
trabalho, bem como detecção e diagnóstico dos riscos fisiológicos em situações
reais. A principal meta é possibilitar a permanência no trabalho sem restrição
excessiva da atividade profissional, com conforto e sem riscos.

NEUROPSICOLOGIA:

O Fonoaudiólogo
Especialista em Neuropsicologia está apto a prevenir, avaliar, tratar e
gerenciar os distúrbios que afetam a comunicação humana e sua interface com a
cognição, relacionando-a com o funcionamento cerebral.

FLUÊNCIA:

Identificar as
tipologias das disfluências típicas e atípicas para o diagnóstico e intervenção
precoce dos transtornos da fluência; Orientar as famílias e as equipes de saúde
e educação sobre a identificação de transtornos da fluência; Gerenciar
programas de reabilitação dos transtornos da fluência; Atuar como perito ou
como auditor em situações nas quais esteja em questão o processo de fluência
normal ou alterada.

Fonte: http://www.fonosp.org.br

FONOAUDIOLOGIA é uma
profissão da área da saúde que pesquisa, previne, avalia e trata as alterações
da voz, fala, linguagem, audição e aprendizagem.

Onde encontrar um Fonoaudiólogo?

Você encontra um
Fonoaudiólogo nos seguintes locais:

Hospitais e Postos de
Saúde
Consultórios
Clínicas multiprofissionais
Escolas especiais
Equipe escolar
Grupos de teatro e canto
No ambiente de trabalho

Qual a população atendida pelo Fonoaudiólogo?

O Fonoaudiólogo presta
assistência a:

Bebês de risco
Crianças que apresentam atraso no desenvolvimento global nos primeiros anos de
vida
Crianças que apresentam problemas/distúrbios da fala e/ou da linguagem e/ou
audição
Pessoas com distúrbios de deglutição, mastigação e/ou sucção
Pessoas que trabalham em ambientes com poluição sonora excessiva
Pessoas que apresentam problemas de voz
Pessoas que apresentam problemas/distúrbios de aprendizagem formal
Pessoas que apresentam qualquer dificuldade de comunicação, como seqüelas de
doenças neurológicas
Pessoas portadoras de deficiências que tenham problemas de comunicação

Quando procurar um Fonoaudiólogo ?

Você deve procurar um
Fonoaudiólogo quando apresentar um dos seguintes sintomas:

Distúrbios da Fala
Perda Auditiva
Distúrbios da Audição
Distúrbios da Linguagem
Estimulação Essencial
Distúrbios da Deglutição, Mastigação e/ou estética vocal
Distúrbios na aprendizagem da leitura, da escrita e do cálculo
Distúrbios da Comunicação – Expressão/compreensão

ÁREAS DE ATUAÇÃO DO FONOAUDIÓLOGO

– Saúde da Criança:

  • Triagem Auditiva Neonatal (“Teste da Orelhinha”) e infantil
  • Teste da Linguinha
  • Dificuldades em recém-nascidos para sugar e engolir
  • Alterações de fala, leitura, escrita e aprendizagem
  • Atrasos no desenvolvimento infantil
  • Acompanhamento da evolução psicomotora

– Adolescente e Jovem:

  • Alterações vocais (puberdade e situações atípicas)
  • Prevenção e tratamento de disfluências na fala e na linguagem (“gagueira”
    e “fala embolada”)
  • Orientações quanto ao uso adequado de equipamentos e em
    situações que possam prejudicar a audição (fones de ouvido, DJs)
  • Reequilíbrio da musculatura de face, lábios e língua no
    tratamento ortodôntico

– Saúde da Mulher:

  • Apoio e incentivo ao aleitamento materno
  • Orientações às mães quanto ao desenvolvimento saudável de seus
    filhos em diferentes aspectos (vínculo afetivo, linguagem, desenvolvimento
    psicomotor)
  • Problemas de voz relacionados a fatores femininos (mau uso
    vocal, menopausa, tumores)

 Saúde do Idoso:

  • Sequelas de AVC ou outras alterações de origem neurológica
  • Dificuldades de mastigar ou engolir alimentos
  • Falhas de memória, problemas na compreensão ou na expressão
    verbal
  • Indicação e adaptação de aparelhos auditivos
  • Mudanças na qualidade da voz

– Educação:

  • Avaliação e diagnóstico institucional de situações de
    ensino-aprendizagem relacionadas à sua área de conhecimento
  • Planejamento educacional
  • Elaborar, acompanhar e executar projetos, programas e ações
    educacionais que contribuam para o desenvolvimento de habilidades e
    competências de educadores e educandos, visando à otimização do processo
    ensino-aprendizagem
  • Promover ações de educação dirigidas à população escolar nos
    diferentes ciclos de vida

– Saúde do Trabalhador:

  • Problemas decorrentes da exposição ao ruído intenso
  • Acompanhamento específico aos profissionais da voz (professores,
    locutores, advogados, etc)
  • Assessoria a escolas, indústrias e empresas
  • Participação em equipes de referência em saúde do trabalhador

– Portadores de Necessidades
Especiais:

  • Habilitação e reabilitação de pacientes com alterações de
    comunicação em geral, audição, mastigação e deglutição
  • Realização de adaptações e outras condutas terapêuticas que
    visem melhor compreensão e expressão oral, alimentação segura e inclusão social
    plena
  • Melhoria da qualidade de vida

– Saúde da Família:

  • Atuação nas equipes de Saúde da Família, visando promover,
    prevenir, detectar e auxiliar na solução de problemas diversos que envolvam
    alterações de voz, fala, linguagem, audição e vias de alimentação

– Saúde Mental:

  • Favorecimento da socialização e resgate da autoestima, através
    de estratégias de incentivo à comunicação

– Educação em Saúde:

  • Participação em ações socioeducativas em saúde da comunicação
  • Multiplicação e facilitação de estratégias que ofereçam
    informações à população sobre melhorias na qualidade de sua saúde

Fonte: http://crefono1.gov.br

Áreas da Fonoaudiologia:

AUDIOLOGIA:

Por meio da audição é
que se adquire, normalmente, a comunicação oral. Doenças na gestação, infecções
de ouvido, uso indiscriminado de medicamentos, exposição a ruídos intensos e
outros podem causar alterações auditivas, comprometendo a comunicação e a
qualidade de vida do indivíduo.

LINGUAGEM:

É a especialidade que
trabalha com os aspectos que envolvem a comunicação oral e escrita. O seu
desenvolvimento dá-se desde a infância até a idade adulta. Pessoas com
problemas de comunicação (expressão e compreensão) podem ter dificuldades na
sua integração social e profissional.

MOTRICIDADE:

Nesta especialidade, o
fonoaudiólogo habilita/reabilita funções relacionadas à respiração, sucção,
mastigação, deglutição, expressão facial e articulação da fala, propiciando
melhores condições de vida e de comunicação.

SAÚDE COLETIVA:

É um campo da
Fonoaudiologia voltado a construir estratégias de planejamento e gestão em
saúde, no campo fonoaudiológico, com vistas a intervir nas políticas públicas,
bem como atuar na atenção à saúde, nas esferas de promoção, prevenção, educação
e intervenção, a partir do diagnóstico de grupos populacionais.

VOZ:

Representa a identidade
do indivíduo, pois expressa seus sentimentos. É produzida pelas pregas vocais e
quando estas não funcionam adequadamente, a voz é alterada, podendo ficar
rouca, abafada, soprosa, comprometendo o trabalho e a vida pessoal. O
fonoaudiólogo previne, avalia e trata os problemas da voz falada (disfonias),
cantada (disonias) e ainda aperfeiçoa os padrões vocais.

DISFAGIA:

É uma alteração da
deglutição, ou seja, do ato de engolir alimentos ou saliva. Não se trata de uma
doença, mas sim de um sintoma que indica prejuízo no ato de engolir ocasionado
por diversos fatores, dentre eles: trauma em região da cabeça e pescoço,
acidente vascular cerebral, demências, doenças neuromusculares, intubação oro
traqueal prolongada e câncer de cabeça e pescoço. O tratamento das alterações
da deglutição deve envolver uma equipe multidisciplinar, composta no mínimo por
médicos, enfermeiros, nutricionistas e fonoaudiólogos. Na equipe, o fonoaudiólogo
é o profissional apto para lidar com os distúrbios da deglutição e da
comunicação, sendo o responsável pelo diagnóstico e intervenção da disfagia.

FONOAUDIOLOGIA EDUCACIONAL:

O domínio do
especialista em Fonoaudiologia Educacional inclui aprofundamento em estudos
específicos e atuação em situações que contribuam para a promoção,
aprimoramento e prevenção de alterações dos aspectos relacionados à audição,
linguagem (oral e escrita), motricidade oral e voz e que favoreçam e otimizem o
processo de ensino e aprendizagem.

GERONTOLOGIA:

Dentre as funções do
Fonoaudiólogo Especialista em Gerontologia estão as de realizar promoção da
saúde do idoso, prevenção, avaliação, diagnóstico, habilitação/reabilitação dos
distúrbios relacionados à audição, ao equilíbrio, à fala, à linguagem, à
deglutição, à motricidade orofacial e à voz nessa população.

FONOAUDIOLOGIA NEUROFUNCIONAL:

O Fonoaudiólogo
Especialista em Fonoaudiologia Neurofuncional realiza avaliação, diagnóstico,
prognóstico, habilitação e reabilitação fonoaudiológicos de pessoas em
diferentes ciclos de vida com alterações neurofuncionais, atuando nas sequelas
resultantes de danos ao sistema nervoso central ou periférico.

FONOAUDIOLOGIA DO TRABALHO:

Na especialidade em
Fonoaudiologia do Trabalho, o fonoaudiólogo deverá promover mudanças
consecutivas na forma de organização do trabalho levando em consideração a
saúde e aperfeiçoamento da comunicação humana, o desenvolvimento de programas
de prevenção ocupacional, a implantação de programas de qualidade de vida do
trabalho, bem como detecção e diagnóstico dos riscos fisiológicos em situações
reais. A principal meta é possibilitar a permanência no trabalho sem restrição
excessiva da atividade profissional, com conforto e sem riscos.

NEUROPSICOLOGIA:

O Fonoaudiólogo
Especialista em Neuropsicologia está apto a prevenir, avaliar, tratar e
gerenciar os distúrbios que afetam a comunicação humana e sua interface com a
cognição, relacionando-a com o funcionamento cerebral.

FLUÊNCIA:

Identificar as
tipologias das disfluências típicas e atípicas para o diagnóstico e intervenção
precoce dos transtornos da fluência; Orientar as famílias e as equipes de saúde
e educação sobre a identificação de transtornos da fluência; Gerenciar
programas de reabilitação dos transtornos da fluência; Atuar como perito ou
como auditor em situações nas quais esteja em questão o processo de fluência
normal ou alterada.

Fonte: http://www.fonosp.org.br